Pular para o conteúdo principal

O que é Lógica de programação?

Este é o segundo de uma série de posts voltados aos leitores do blog que estão dando início à carreira de desenvolvimento de software. O assunto de hoje é a lógica de programação.

Para ler antes: Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados

A lógica de programação é um pré-requisito para quem quer se tornar um desenvolvedor de software, independente da linguagem de programação que se pretende utilizar.

Mas o que é de fato a Lógica de Programação e como saber se eu tenho esse pré-requisito?

A lógica de programação nada mais é do que a organização coerente das instruções do programa para que seu objetivo seja alcançado. Para criar essa organização, instruções simples do programa, como mudar o valor de uma variável ou desenhar uma imagem na tela do computador, são interconectadas a estruturas lógicas que guiam o fluxo da execução do programa. Isso é muito próximo ao que usamos em nosso cotidiano para realizar atividades simples que vão desde atravessar a rua até a trocar o pneu de um carro.

Por tráz das atividades que realizamos no nosso dia-a-dia, há sempre o chamado raciocínio lógico que define os passos para que nossa atividade seja completada com sucesso. Quando esse raciocínio falha, ou seja, não é suficientemente preciso, há grandes chances de não alcançarmos nosso objetivo. A mesma coisa acontece com os programas de computador.

Por isso, embora pareça simples, usar o raciocínio lógico para instruir um computador a realizar nosso desejo, é uma tarefa bastante complexa que exige muita prática. Faça um teste, experimente listar todos os passos envolvidos com a troca de um pneu.....

A maioria das pessoas que fazem esse exercício pensam nas tarefas, tirar um pneu e colocar o outro. Algumas pessoas mais detalhistas pensam em abrir o porta-malas e pegar o pneu de estepe. Mas poucas pessoas pensam em coisas como:
  • se o estepe não está cheio o suficiente,
    • ligar para o seguro e aguardar o socorro.
  • Se o estepe estiver ok,
    • pegar o macado no porta-malas,
    • posicionar o macaco sob o carro,
    • suspender o carro com o macaco,
    • desparafusar todos os parafusos,
    • tirar o pneu,
    • colocar o estepe,
    • parafusar todos os parafusos,
    • abaixar o macaco,
    • guardar o macaco no porta-malas,
    • guardar o pneu furado no porta-malas,
    • fechar o porta-malas,
    • entrar no carro,
    • ligar o carro,
    • dirigir até encontrar uma borracharia.
Ufa... Viram como é difícil?
Agora imagine se estivéssemos escrevendo um programa que troca pneus!!! :-)
  • Será que seu programa saberia o que precisa ser feito?
  • Será que o fluxo de execução estaria completo como você pensou?
Esse é o grande desafio do programador: montar a estrutura lógica do programa para ser executado pelo computador.

O programador deve partir do princípio que o computador não pensa e não é inteligente para saber o que precisa ser feito. Portanto, ao escrever o programa, cada tarefa a ser executada pelo computador deve ser minuciosamente detalhada pelo programador.

Esse detalhamento se dá pela organização das instruções do programa usando estruturas de controle que irão guiar o seu fluxo de execução. Tais estruturas de controle são as expressões condicionais e os laços (ou repetições).

Estruturas condicionais

As estruturas condicionais permitem realizar desvios de fluxo com base na avaliação de condições.

No caso do pneu, a frase "se o estepe estiver ok" é a condição que permitirá a execução das demais atividades relacionadas à troca do pneu. Se a condição não é verdadeira, ou seja, "se o estepe não está cheio o suficiente", os próximos passos seriam "ligar para o seguro" e "aguardar o socorro ".

Repare que seguir por um caminho ou por outro (fluxo) depende da condição estabelecida.

Estruturas de repetição (laços ou loops)

Os laços são indicações de que uma ou mais tarefas precisam ser executadas mais de uma vez.
Por exemplo, no caso do pneu, a frase "parafusar todos os parafusos" indica que devemos identificar todos os parafusos soltos e parafusá-los.

A função do laço é permitir a repetição de instruções sem a necessidade de reescrevê-las, até que uma condição seja satisfeita.

Neste exemplo, a condição é que todos os parafusos sejam parafusados. Imagine se tivéssemos que escrever, parafuse o primeiro parafuso, parafuse o segundo parafuso, parafuse o terceiro parafuso.... seria repetição desnecessária de instruções .

Lógica do programa

A lógica de um programa é montada por meio da combinação de várias instruções (de entrada, manipulação ou saída de dados), condições e laços. Por isso é que a lógica de programação é o requisito fundamental para o profissional de desenvolvimento de software. Para desenvolver programas usando qualquer linguagem de programação, o programador deve saber como montar as instruções do programa.

Veja abaixo um exemplo de programa que atribui 1 para a variável x e monta uma estrutura de repetição (laço) para verificar se x é divisível por 2. Se a condição for verdadeira, o valor de x é impresso, caso contrário, o valor de x é incrementado em 1. Essa repetição irá acontecer enquanto x for menor do que 10.

A representação utilizada é de um algoritmo em português estruturado, e para funcionar em um computador, precisamos escrever as instruções utilizando uma linguagem de programação.


Modularização (Procedimentos e funções)

Quando um trecho do programa precisa ser reutilizado em outros locais, é comum isolar esse trecho em procedimentos ou funções reusáveis. A criação desses procedimentos e funções também faz parte do conceito de lógica e é muito importante para o programador. Mas isso ficará para um futuro post.

Como desenvolver a prática da lógica de programação?

A dica que fica aqui é que se você está pensando em ingressar na área de desenvolvimento de sofware, com Java ou qualquer outra linguagem de programação, é preciso estudar todos esses conceitos e praticar muito.


Novamente volto a frisar que a Academia do Programador da Globalcode é uma excelente forma de começar. Nesse treinamento, todos os assuntos que tenho falado nesses últimos posts são bem detalhados e praticados usando o Program-ME como diferencial.

O Program-ME é um hardware utilizado no curso Academia do Programador para que o aluno possa praticar a lógica de programação de forma muito mais divertida, usando leds, sons, sensores, etc, para testar as condições e/ou laços. Essa é uma metodologia de ensino de lógica de programação pioneira. Vale a pena conferir.

Elaine Quintino Silva
http://twitter.com/elaineqsilva
http://www.globalcode.com.br/instrutores/ElaineSilva

Comentários

Ana Abrantes disse…
Parabéns, Elaine, ótimo post!
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Unknown disse…
Muito bom post! Sou professor de Java aqui na UEG ( Goiás )e vou levar as idéias para os alunos e discutir com eles! Obrigado
Anônimo disse…
Wikipédia - Lógica

A lógica (do grego clássico λογική logos, que significa palavra, pensamento, ideia, argumento, relato, razão lógica ou princípio lógico), é uma ciência de índole matemática e fortemente ligada à Filosofia. Já que o pensamento é a manifestação do conhecimento, e que o conhecimento busca a verdade, é preciso estabelecer algumas regras para que essa meta possa ser atingida. Assim, a lógica é o ramo da filosofia que cuida das regras do bem pensar, ou do pensar correto, sendo, portanto, um instrumento do pensar. A aprendizagem da lógica não constitui um fim em si. Ela só tem sentido enquanto meio de garantir que nosso pensamento proceda corretamente a fim de chegar a conhecimentos verdadeiros. Podemos, então, dizer que a lógica trata dos argumentos, isto é, das conclusões a que chegamos através da apresentação de evidências que a sustentam. O principal organizador da lógica clássica foi Aristóteles, com sua obra chamada Organon. Ele divide a lógica em formal e material.
Elaine Silva disse…
Obrigada pelos comentários.

Goiano, legal sim comentar com os alunos sobre pequenos detalhes que podem ajudá-los no desenvolvimento da lógica de programação. Eu sempre digo aos meus alunos(também sou instrutora de Java) para exercitarem a lógica de programação iniciando por coisas do dia a dia mesmo... É divertido e dá resultado.

[]s
Elaine.
Jorge Diz disse…
Muito didático o post, parabens.

Talvez para motivar (ou desmotivar?) os novatos, poderiamos ampliar a metáfora e falar que no mundo da informática, o macaco não consegue subir o carro quando o rádio está sintonizado na CBN e, ao mesmo tempo, o pneu dianteiro direito está apontando na direção da Meca.

[]s

Jorge Diz
Marcio Duran disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcio Duran disse…
Bom, vou postar com um perfil atualizado ... =)

Da forma que a informação esta ai , logica nos dias de hoje é algo voltado a "desenvolvimento orientado a criatividade"

Uma frase que ouvi de um renomado especialista do Google
Thaís Américo disse…
Elaine, adorei seu post!

Parabéns
Anônimo disse…
Belo post!

Mas gostaria de alertar que antes de suspender o carro com o macaco é preciso soltar os parafusos sem retirá-los completamente, pois com o carro suspenso não é possível destravar os parafusos com uma chave de roda normal.

Outro detalhe, o algoritmo em pseudocódigo está incorreto, pois a variável 'x' só é incrementada quando o resto da divisão por 2 não é zero o que faria a variável nunca sair do valor inicial que é 0. O processo entraria em um laço sem fim.

Mesmo assim gostei do post pela importância do assunto e por estimular essas reflexões!
Carlos Ferreira disse…
Estou fazendo a Academia Java, aqui em Campinas e achei muito bom o seu post. Parabéns.
Anônimo disse…
Gostei do artigo, muito bem escrito. Acredito que, se no algoritmo de exemplo não houvesse o loop infinito, quem está iniciando os estudos em computação, iria entender mais fácil.
Unknown disse…
Muito didático o post, parabéns!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Melhorando Performance de JPA com Spring Web Flow

No TDC2009 realizado pela Globalcode em São Paulo foi apresentado um Lightning Talk sobre um problema específico de performance em aplicações Web com JPA e uma possível solução usando o Spring Web Flow . Num período de 15 minutos, os slides a seguir foram apresentados e seguidos de alguns vídeos de demonstração de uma aplicação Web em execução. Melhorando performance do JPA com Spring Web Flow View more presentations from Dr. Spock . Nesta apresentação foi dito que temos encontrado problemas de performance em aplicações Web que utilizam as tecnologias JSF + JPA + Ajax quando precisamos gerenciar um contexto de persistência (EntityManager). Estes problemas se manifestam quando aplicamos uma resposta errada para a pergunta: Como gerenciar o contexto de persistência numa aplicação Web? Se as aplicações não usam Ajax e limitam-se ao modelo orientado a requisições, a solução mais comum é o uso do design pattern chamado "Open Session In View Filter". Através deste design

TDC ONLINE: SUA PLATAFORMA DE PALESTRAS GRAVADAS DO TDC DISPONÍVEL

Além do conteúdo ao vivo transmitido online nas edições do TDC, agora você pode ter acesso à centenas de palestras gravadas, através da nossa nova plataforma de vídeos - o TDC Online, que reúne todas as Trilhas premium, Stadium e Salas dos Patrocinadores das edições anteriores de 2022, TDC Innovation e TDC Connections.  Para acessar, basta clicar na edição em que você participou ( TDC Innovation ou TDC Connections ); Fazer o mesmo login (com e-mail e senha) cadastrados na hora de adquirir ou resgatar o seu ingresso no TDC; E clicar na Trilha de sua opção, e de acordo com a modalidade do seu ingresso. Logo em seguida, você será direcionado para a seguinte página com a lista de todas as palestras por Trilha: Pronto! Agora você tem acesso à centenas de palestras gravadas da sua área de interesse, para assistir como e quando quiser! Caso tenha esquecido a senha, clique na opção "Esqueci a senha" , insira o e-mail que você realizou para o cadastro no evento, e aparecerá a op

Dica rápida: Apagando registros duplicados no MySQL

Ola pessoal, Sei que vocês estão acostumados a ver posts meus sobre tecnologia móvel ou algo relacionado, mas hoje vou falar sobre um pequeno "truque" que usei esse final de semana com o MySQL. Eu estava desenvolvendo o lado servidor de uma nova aplicação mobile (ahh, então "tem a ver" com mobile hehe), e quando fui fazer alguns testes percebi que tinha quase 7 mil registros duplicados (!!!) na minha base de dados! Bom, o meu primeiro reflexo como programador foi pensar em fazer um "programinha" Java para buscar e deletar todos esses registros duplicados. Mas ai, resolvi tirar as teias de aranha dos neurônios e usar os vários anos de experiência que passei com SQL e criar uma query que fizesse esse trabalho todo de uma vez!! E a query ficou assim: delete from TABLE_NAME USING  TABLE_NAME, TABLE_NAME  AS  auxtable WHERE   ( NOT  TABLE_NAME.id  =  auxtable.id ) AND   ( TABLE_NAME.name  =  auxtable.name ) Explicação direta: TABLE_NAME

JavaMail: Enviando mensagem HTML com anexos

Introdução Depois do post "JavaMail: Enviando e-mail com Java" , que apresentava como enviar um e-mail com Java, resolvi complementar a assunto apresentando como enviar uma mensagem formatada, em HTML , e também como realizar o envio de anexos. Bibliotecas Além da biblioteca JavaMail, veja mais no post anterior , é necessário incluir o JavaBeans Activation Framework (JAF), apenas se a versão utilizada for anterior ao JSE 6.0 , que já tem o JAF incluso. O JAF está disponível em http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/index-135046.html , e neste download encontramos, alguns exemplos na pasta demo , documentação, incluindo javadocs, na pasta docs e a biblioteca activation.jar , que deve ser acrescentada no classpath da aplicação para versões anteriores ao JSE 6.0. Exemplo Primeiramente devemos realizar a configuração da javax.mail.Session e da javax.mail.internet.MimeMessage , estes passos podem ser vistos no post anterior . Agora vamos montar um

Devo fazer um curso ou ler um livro?

Acredito que todos os instrutores ou professores, independentemente da área, escola ou centro de treinamento, já devam ter recebido essa pergunta alguma vez na vida: devo fazer um curso ou ler um livro? Para responder a essa pergunta, precisamos avaliar os prós e contras de cada opção. Trabalho com treinamento há algum tempo e, hoje, recebi essa pergunta de um aluno. Não adianta responder a ou b sem argumentar, demonstrando as opções conforme a situação do aluno. O conteúdo, a forma de transmissão e a capacidade de assimilação do indivíduo são chaves para haver benefício maior de aprendizado. Tanto em um bom curso quanto em um bom livro, o conteúdo é a premissa básica . Por conteúdo entendemos: se está organizado; se respeita pré-requisitos; se promove o aprendizado guiado e incremental; se aborda de forma satisfatória os principais pontos; se tem bom balanço entre teoria, exemplos e prática (favorecendo exemplos e prática); se tem como premissa a acessibilidade possível (e cabível) pa