Pular para o conteúdo principal

Aventuras com SpringRoo no mundo real

Há alguns dias entregamos a primeira fase de um Projeto desenvolvido utilizando o Spring Roo. Nesse post vou compartilhar essa experiência.


O Projeto
Primeiro detalhe, só pra variar, o tempo bem escasso. A idéia era disponibilizar o sistema funcionando em 2 semanas. As funcionalidades eram bem simples, alguns CRUDS, um deles um pouco maior  com alguns relacionamentos e validações mais chatas, várias opções de pesquisa/filtros e relatórios.

A equipe
Nesse projeto era bem pequena, 2 desenvolvedores.

Porquê o Spring Roo?
Meu primeiro contato com o Roo foi no TDC2009, na palestra do Rod Johnson e logo depois com o Renato Bellia no Casual Class sobre Spring Plataform.

Finalmente chegamos a tão desejada "alta-produtividade" no desenvolvimento Java corporativo! Será? Penso que produtividade vai bem além de uma ferramenta e/ou metodologia, são vários os fatores que influenciam, mas não quero falar sobre isso aqui.

Imparcial e sem falsas ilusões fiquei bem curioso pela simplicidade com que o Roo trata as tarefas burocráticas na infra-estrutura de um projeto Java, que sempre foi alvo de muitas críticas. Outro ponto que chamou minha atenção foi a possibilidade de, caso fosse conveniente, desligar o Roo e continuar trabalhando e evoluindo o sistema.

Além das funcionalidades da ferramenta, o fator decisivo na escolha do Spring Roo foi a arquitetura/estrutura gerada por ele com: Spring MVC, JPA/Hibernate, Spring Security. Tecnologias aderente a linha adotada em outros projetos na empresa. O Roo entrou em cena com o papel de propulsor.


Desenvolvimento
No início do projeto a versão disponível do Spring Roo era 1.1.0.M1. De lá pra cá várias melhorias foram feitas até a 1.1.0 GA. Naquele momento o plugin do GWT do Roo estava bem imaturo, ainda em processo de desenvolvimento e, então, pra evitar o risco não usamos. A estratégia na camada view foi seguir uma linha mais clássica Java para Web, desenvolvimento com JSP e Custom Tags do Spring Web, e claro com Spring MVC 3.0.

Ainda sobre a camada view, outra feature que ainda não existia no Roo era o suporte nativo a JSON para REST, adotado na atual versão. Resolvemos o JSON sem stress, usando algumas funcionalidades do Spring MVC 3. O Ajax no front-end foi resolvido com framework JavaScript Dojo, adotado pelos componentes do Spring Web para algumas perfumárias. O Dojo deixou a desejar, enfrentamos alguns problemas de compatibilidade do JS com IE, por isso em alguns pontos usamos o JQuery, que sem dúvida alguma é o meu prefererido!

A curva de aprendizado do Roo é bem curta, em poucas horas definimos todo modelo de entidades, as Controllers, pesquisas e o esqueleto das Views, tudo pelo shell. Usamos o STS tornando a integração do shell com IDE bem transparente, além de contar com todas peculiaridades para os produtos Spring.


Conclusão
O principal objetivo: entregar o projeto atendendo a expectativa do cliente no prazo esperado, foi alcançado!

O Roo realmente acelera o desenvolvimento, resolve muitas picuinhas chatas e o melhor de tudo: gera código bom, fácil de compreender e avançar, com todo aparato de testes, uma arquitetura enxuta e consistente. Conhecer um pouco sobre AOP, ou melhor AspectJ, pode facilita a compreensão do que está rolando por trás da cortina.

Dois pontos que merecem uma maior atenção seriam  o cuidado com relacionamentos mais avançados entre entidades (Scaffold) e a organização das buscas. Vou descrever mais detalhes disso em outro post.

Gostei bastante do Roo, pretendendo continuar usando em projetos com características diferentes, maiores e mais complexos.


Documentação do Roo.
Posts sobre o Roo aqui no Globalcoders.
Um pouco mais da minha experiência com o Roo.


[]s
Eder Magalhães
www.yaw.com.br
twitter.com/youandwe
twitter.com/edermag

Comentários

Digão disse…
Otimo post! brinquei um pouco com SpringRoo tempos atrás, para CRUDs ele funciona muito bem! empaquei um pouco com relacionamento nesses CRUDs, já q vai detalhar num proximo post..estarei no aguardo sobre ele! valew!
Pedro Cavaléro disse…
Muito interessante ver uma utilização do Roo no mundo real. Vc fez o q eu pensei tb, fazer a infra com o Roo e a parte toda de view na mão mesmo. Ainda não acho q a view q ele gera seja usável em um projeto real, talvez uma pequena parte, não sei. Seria interessante que a springsource fizesse algum demo com a customização de projetos e não apenas da geração incial. Parabéns pelo post!

Postagens mais visitadas deste blog

2º Bate Papo do SP-GTUG - Divulgação

Pessoal, Para aqueles que já estiveram presentes nas atividades do SP-GTUG (encontros ou bate papos na Globalcode), e para os que ainda não puderam estar presentes, teremos um novo bate papo acerca de mais duas tecnologias do Google: AdSense e Python no GAE. Este será o nosso segundo bate papo do SP-GTUG, nos mesmos moldes dos minicursos da Globalcode . Local e data O bate papo acontecerá no dia 27/03/10, das 10:00 às 13:00 na Globalcode. Para fazer sua inscrição e participar acesse a home da Globalcode e vá até a parte de "Minicursos Gratuitos da Semana ". Conteúdo das apresentações Abaixo seguem as descrições passadas pelos palestrantes: Título: "Algoritmos em Python" Resumo: Python é uma linguagem considerada frugal, simples, sem ser simplória! Entenda como construir algoritmos ninjas com essa linguagem, adotada pela Google e pelo MIT. Veremos muito, muito código, desde algoritmos clássicos até tutoriais do

10 reasons why we love JSF

1. One-slide technology: it's so simple that I can explain basic JSF with one slide. 2. Easy to extend: components, listeners, render kit, Events, Controller, etc. 3. Real-world adoption: JBoss, Exadel, Oracle, IBM, ... 4. Architecture model: you can choose between more than 100 different architecture. 5. Open-mind community: using JSF you are going to meet very interesting people. 6. We are using JSF the last 5 years and we found very good market for JSF in Brazil 7. Progress: look to JSf 1.1 to JSF 1.2, JSF 1.2 to JSF 2.0. People are working really hard! 8. Many professionals now available 9. It's a standard. It's JCP. Before complain, report and help! 10. Ed Burns, spec leader, is an old Globalcode community friend! EXTRA: My wife is specialist in JSF. She's my F1 for JSF :) Nice job JSF community! -Vinicius Senger

JSF 2 - Composite Components, você não precisa mais ser um ninja

Estamos em uma nova era da computação, os dados não estão mais localizados em um banco dentro de sua empresa, vivemos a explosão de redes sociais, informações são geradas a todo instante, e se torna essencial que sua aplicação conheça os serviços disponíveis na web e consumam suas APIs geralmente disponíveis por serviços REST. Legal, mas como ficam meus aplicativos Java EE neste novo cenário? Para quem vem acompanhando a evolução da plataforma, é notório que todo esforço vem sendo utilizado para aumentar a produtividade e a integração com novos serviços. Basicamente duas especificações surgem com muita força para atender este cenário, a JSR - 314 (JSF-2) e JSR - 311 (JAX-RS), neste post exploraremos a JSR-314 (JSF2) e sua nova forma de criar Composite Components. Uma das grandes queixas dos desenvolvedores JSF era a complexidade em criar composite components, era necessário um vasto conhecimento sobre o ciclo de vida de uma aplicação JSF. Agora, você não precisa ser mais um “ninja” em

Gosta de informática e sonha ser programador Java um dia ?

A Globalcode está procurando jovens que queiram ser programadores no futuro, para fazer parte de sua equipe de vendas e operacional na unidade Paraíso em São Paulo somente. O grande diferencial é o planejamento para carreira de programador. O planejamento de cursos do portifólio da Globalcode: Academia do Programador, Academia Java, Academia Web, Robótica, Eletrônica, etc, será realizado periodicamente de acordo com o desempenho e interesse individual. Atenção : Este não é um estágio para trabalhar com Java, são duas vagas CLT administrativas para pessoas que queiram ser programadores no futuro. Perfil : Conhecimentos de informática básica, saber lidar com pessoas e trabalhar em equipe. Deve ter concluído o ensino médio, ter boa escrita, ser organizado, responsável, comprometido e dinâmico. Interesse por computação, programação, internet, robótica, eletrônica,... Temos duas vagas para jovem-aprendiz abertas: 1) Setor operacional No dia a dia Serviços externos Controle de estoqu

JavaMail: Enviando mensagem HTML com anexos

Introdução Depois do post "JavaMail: Enviando e-mail com Java" , que apresentava como enviar um e-mail com Java, resolvi complementar a assunto apresentando como enviar uma mensagem formatada, em HTML , e também como realizar o envio de anexos. Bibliotecas Além da biblioteca JavaMail, veja mais no post anterior , é necessário incluir o JavaBeans Activation Framework (JAF), apenas se a versão utilizada for anterior ao JSE 6.0 , que já tem o JAF incluso. O JAF está disponível em http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/index-135046.html , e neste download encontramos, alguns exemplos na pasta demo , documentação, incluindo javadocs, na pasta docs e a biblioteca activation.jar , que deve ser acrescentada no classpath da aplicação para versões anteriores ao JSE 6.0. Exemplo Primeiramente devemos realizar a configuração da javax.mail.Session e da javax.mail.internet.MimeMessage , estes passos podem ser vistos no post anterior . Agora vamos montar um

TDC INNOVATION lança University Pass

Modalidade de ingresso tem como objetivo ajudar na capacitação dos universitários Uma pesquisa realizada em 2020 pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) diz que até o ano de 2024 o Brasil precisará de cerca de 420 mil profissionais na área de Tecnologia da Informação. Porém, por ano, a mesma pesquisa diz que o país forma apenas 46 mil profissionais capacitados no nicho. Pensando nisso, para ajudar na formação e capacitação desses jovens profissionais, o TDC INNOVATION, segunda edição do ano do The Developer's Conference, lança o University Pass, modalidade de ingresso que possibilita aceso digital gratuito a todas as palestras do evento, ou com 50% de desconto para quem preferir ir pessoalmente. Com o tema central “Desafios para a criação do futuro Digital”, o TDC INNOVATION ocorrerá entre 1 e 3 de junho, de forma híbrida: presencialmente no Centro de Convenções CentroSul, em Florianópolis, e com transmissão simultaneamente pela