Pular para o conteúdo principal

BUG no JDK da SUN

Todos conhecem os métodos print e println da classe PrintStream, pois já devem ter utilizado as instruções System.out.print ou System.out.println para imprimir alguma mensagem no console. Pense rápido: O que acontece se passarmos um parâmetro nulo no método println?

System.out.println(null);

Ocorre um erro de compilação. Mas vamos mudar a pergunta. O que acontece se passarmos uma referência nula no parâmetro do método println?

String str = null;
System.out.println(str);

Compila e imprime a String "null", pois o método println chama o método print, que por sua vez valida se a referência é nula, e caso seja, inicializa o valor com o texto "null", veja abaixo a sequência dos métodos:

public void println(String x) {
synchronized (this) {
print(x);
newLine();
}
}
public void print(String s) {
if (s == null) {
s = "null";
}
write(s);
}

Mas o que acontece se passarmos qualquer outro objeto no parâmetro do método println?

Object obj = null;
System.out.println(obj);

Também compila, pois o método println sobrecarregado com o parâmetro do tipo Object, chama o método print sobrecarregado com o parâmetro do tipo Object:

public void println(Object x) {
synchronized (this) {
print(x);
newLine();
}
}

Mas por não ser uma String, antes de chamar o método write para imprimir a mensagem no console, é chamado o método valueOf da classe String, passando esse objeto como parâmetro para obter um texto:

public void print(Object obj) {
write(String.valueOf(obj));
}

E por segurança, para evitar um NullPointerException, é validada se a referência do parâmetro é nula, e caso não, então chama o método toString da classe Object, ou o método toString do próprio objeto, caso tenha sido sobrescrito.

public static String valueOf(Object obj) {
return (obj == null) ? "null" : obj.toString();
}

E nesse caso como a referência é nula, retorna a String "null". Mas você deve estar pensando: Para que tudo isso? Nem estou estudando para certificação...Ou, o Eclipse e Netbeans verificam isso pra mim...Ou, o corinthians vai retomar a boa fase...Ou, etc... Fiz tudo isso para contar uma historinha e montar uma linha de raciocinio para ficar mais fácil de visualizar o erro que encontrei.

Sabemos que quando passamos um objeto como parâmetro no método println ou print, é chamado o método toString() da classe Object ou o da própria classe caso tenha sido sobrescrito.
Agora a última pergunta: o que acontece se sobrescrevermos o método toString retornando null e passarmos o objeto dessa nossa classe como parâmetro no método println?

public class Test {
public static void main(String[] args) {
Test t = new Test();
System.out.print(t);
}
public String toString() {
return null;
}
}

Compila, mas estoura um NullPointerExcpetion, pois como vimos anteriormente, o método println chama o método print sobrecarregado para o parâmetro do tipo Object, que chama o método valueOf da classe String:

public void print(Object obj) {
write(String.valueOf(obj));
}

E o método valueOf chama o toString do nosso objeto, que retornará um null:

public static String valueOf(Object obj) {
return (obj == null) ? "null" : obj.toString();
}

Passando então uma referência nula para o método write, que por sua vez chama o método write da classe BufferedWriter que tenta chamar o método length da classe String e como o objeto é nulo...BUM, estoura um NullPointerException:

public void write(String str) throws IOException {
write(str, 0, str.length());
}

Nesse momento fiquei feliz, pois encontrei um bug na JVM da SUN e iria mandar imediatamente para eles e ficar famoso (brincadeira), até me lembrar que estava usando o Java 5. E quando fui testar com o Java 6, o problema já tinha sido resolvido. Mostrei o problema ao Kleber, instrutor da Globalcode, que lamentou junto comigo.

Mas eu não iria postar esse texto enorme caso não houvesse nenhum bug, certo? Talvez sim, mas nesse caso não. Na semana seguinte o Kleber comentou que no Java 6 o problema ainda persistia no método print, pois foi corrigido apenas o método println.

Já enviei o bug para a SUN, tenho certeza que não ficarei famoso por isso, mas ficaria feliz caso eles me enviassem um Voucher, rs...Eles ainda não publicaram no site, mas acho que em breve estará disponível no link: http://bugs.sun.com/bugdatabase/

E não precisam se assustar, pois não costumo sobrescrever o método toString retornando null, esse cenário ocorreu em um dos laboratórios com EJB3 do curso Academia Enterprise, e achei que fossem muitos outros problemas até encontrar a verdadeira causa, e depois que mostrei para os colegas da turma eles também não se conformaram, rs.

Aproveitem isso para apostar almoços com seus amigos javeiros, eu já ganhei dois (brincadeira denovo)...

Comentários

Unknown disse…
O método toString deve retornar uma representação String do Objeto. Se o objeto não é nulo, o toString deve retornar uma String não nula.
Não existe bug, é só saber o contrato do método.
É como dizer que HashMap e o HashSet contém bugs porque você não sabe implementar o equals e o hashCode.
Perenha disse…
Olá Diego,
Concordo com você sobre o método toString, mas o bug que comentei no post se encontra no método print da classe PrintStream.
Pois ele faz uma chamada ao método toString do objeto e em seguida chama o método length do objeto String retornado. E se houve algum erro na sobrescrita do método toString, retornando nulo, estoura um NullPointerException.
Eu ainda acho que é um bug, pois esse problema foi corrigido para o método println na versão 6. Mas eu mandei o problema para a SUN, eles demoram um pouco para responder, mas se eles disserem que não é um bug, eu prometo enviar para você.
Abraço.
Yara Senger disse…
Rodrigo, eu gostei muito do post, mas pela experiência em sala de aula do que pelo próprio bug.

Ao encontrar um erro em um programa, as vezes pensamos "Não é possível, eu estou fazendo tudo certo. Já conferi várias vezes, deve ser um bug".

Infelizmente, ou felizmente na maioria das vezes o erro é nosso... (risos).E comprovar que é um bug nem sempre é trivial.

Mas, se pensarmos bem, quando o erro é realmente um bug é muito pior, pois sendo um erro nosso corrigimos e pronto. Caso seja mesmo um bug E caso o software seja Open source, ainda assim não está totalmente no nosso controle corrigir o bug. Mas existem esperanças. (risos)

Por isto, acredito que neste caso, mais importante do que o próprio bug é a experiência vivenciada, uma das formas mais motivadoras de convencer as pessoas sobre a importância do Open Source, e muitas vezes capaz de transformar uma pessoa ou uma empresa de usuário de Open Source para colaborador, ou "commiter" de um projeto.

Você já testou no OpenJDK ?

PS: Talvez você já seja colaborador, manifestei minha opinião de forma geral.

[]s
Yara

Postagens mais visitadas deste blog

Melhorando Performance de JPA com Spring Web Flow

No TDC2009 realizado pela Globalcode em São Paulo foi apresentado um Lightning Talk sobre um problema específico de performance em aplicações Web com JPA e uma possível solução usando o Spring Web Flow . Num período de 15 minutos, os slides a seguir foram apresentados e seguidos de alguns vídeos de demonstração de uma aplicação Web em execução. Melhorando performance do JPA com Spring Web Flow View more presentations from Dr. Spock . Nesta apresentação foi dito que temos encontrado problemas de performance em aplicações Web que utilizam as tecnologias JSF + JPA + Ajax quando precisamos gerenciar um contexto de persistência (EntityManager). Estes problemas se manifestam quando aplicamos uma resposta errada para a pergunta: Como gerenciar o contexto de persistência numa aplicação Web? Se as aplicações não usam Ajax e limitam-se ao modelo orientado a requisições, a solução mais comum é o uso do design pattern chamado "Open Session In View Filter". Através deste design

10 reasons why we love JSF

1. One-slide technology: it's so simple that I can explain basic JSF with one slide. 2. Easy to extend: components, listeners, render kit, Events, Controller, etc. 3. Real-world adoption: JBoss, Exadel, Oracle, IBM, ... 4. Architecture model: you can choose between more than 100 different architecture. 5. Open-mind community: using JSF you are going to meet very interesting people. 6. We are using JSF the last 5 years and we found very good market for JSF in Brazil 7. Progress: look to JSf 1.1 to JSF 1.2, JSF 1.2 to JSF 2.0. People are working really hard! 8. Many professionals now available 9. It's a standard. It's JCP. Before complain, report and help! 10. Ed Burns, spec leader, is an old Globalcode community friend! EXTRA: My wife is specialist in JSF. She's my F1 for JSF :) Nice job JSF community! -Vinicius Senger

O que é Lógica de programação?

Este é o segundo de uma série de posts voltados aos leitores do blog que estão dando início à carreira de desenvolvimento de software. O assunto de hoje é a lógica de programação. Para ler antes: Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados A lógica de programação é um pré-requisito para quem quer se tornar um desenvolvedor de software, independente da linguagem de programação que se pretende utilizar. Mas o que é de fato a Lógica de Programação e como saber se eu tenho esse pré-requisito? A lógica de programação nada mais é do que a organização coerente das instruções do programa para que seu objetivo seja alcançado. Para criar essa organização, instruções simples do programa, como mudar o valor de uma variável ou desenhar uma imagem na tela do computador, são interconectadas a estruturas lógicas que guiam o fluxo da execução do programa. Isso é muito próximo ao que usamos em nosso cotidiano para realizar atividad

Dica rápida: Apagando registros duplicados no MySQL

Ola pessoal, Sei que vocês estão acostumados a ver posts meus sobre tecnologia móvel ou algo relacionado, mas hoje vou falar sobre um pequeno "truque" que usei esse final de semana com o MySQL. Eu estava desenvolvendo o lado servidor de uma nova aplicação mobile (ahh, então "tem a ver" com mobile hehe), e quando fui fazer alguns testes percebi que tinha quase 7 mil registros duplicados (!!!) na minha base de dados! Bom, o meu primeiro reflexo como programador foi pensar em fazer um "programinha" Java para buscar e deletar todos esses registros duplicados. Mas ai, resolvi tirar as teias de aranha dos neurônios e usar os vários anos de experiência que passei com SQL e criar uma query que fizesse esse trabalho todo de uma vez!! E a query ficou assim: delete from TABLE_NAME USING  TABLE_NAME, TABLE_NAME  AS  auxtable WHERE   ( NOT  TABLE_NAME.id  =  auxtable.id ) AND   ( TABLE_NAME.name  =  auxtable.name ) Explicação direta: TABLE_NAME

JavaMail: Enviando mensagem HTML com anexos

Introdução Depois do post "JavaMail: Enviando e-mail com Java" , que apresentava como enviar um e-mail com Java, resolvi complementar a assunto apresentando como enviar uma mensagem formatada, em HTML , e também como realizar o envio de anexos. Bibliotecas Além da biblioteca JavaMail, veja mais no post anterior , é necessário incluir o JavaBeans Activation Framework (JAF), apenas se a versão utilizada for anterior ao JSE 6.0 , que já tem o JAF incluso. O JAF está disponível em http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/index-135046.html , e neste download encontramos, alguns exemplos na pasta demo , documentação, incluindo javadocs, na pasta docs e a biblioteca activation.jar , que deve ser acrescentada no classpath da aplicação para versões anteriores ao JSE 6.0. Exemplo Primeiramente devemos realizar a configuração da javax.mail.Session e da javax.mail.internet.MimeMessage , estes passos podem ser vistos no post anterior . Agora vamos montar um

TDC ONLINE: SUA PLATAFORMA DE PALESTRAS GRAVADAS DO TDC DISPONÍVEL

Além do conteúdo ao vivo transmitido online nas edições do TDC, agora você pode ter acesso à centenas de palestras gravadas, através da nossa nova plataforma de vídeos - o TDC Online, que reúne todas as Trilhas premium, Stadium e Salas dos Patrocinadores das edições anteriores de 2022, TDC Innovation e TDC Connections.  Para acessar, basta clicar na edição em que você participou ( TDC Innovation ou TDC Connections ); Fazer o mesmo login (com e-mail e senha) cadastrados na hora de adquirir ou resgatar o seu ingresso no TDC; E clicar na Trilha de sua opção, e de acordo com a modalidade do seu ingresso. Logo em seguida, você será direcionado para a seguinte página com a lista de todas as palestras por Trilha: Pronto! Agora você tem acesso à centenas de palestras gravadas da sua área de interesse, para assistir como e quando quiser! Caso tenha esquecido a senha, clique na opção "Esqueci a senha" , insira o e-mail que você realizou para o cadastro no evento, e aparecerá a op