Pular para o conteúdo principal

Um Pouco sobre os Novos Sistemas Operacionais para Mobile



O mercado de plataformas móveis está claramente centralizado em dois nomes: iOS e Android. A dupla revolucionou o mercado e acabou com o império do Symbian, que durava mais de uma década. Uma pesquisa da Strategy Analytics mostrou que ambas foram responsáveis por 92% de todos os smartphones embarcados no quarto trimestre de 2012.

Mas engana-se quem pensa que outras empresas jogaram a toalha. Temos as duas mais conhecidas de todas. O Windows Phone e o recém-lançado BlackBerry 10.

O Windows Phone é uma plataforma que já tenho um pouco de experiência, tendo escrito alguns artigos para revistas e, começamos a trabalhar com ela na StillRocker. Empresa da qual sou sócio.É um bom sistema operacional, com um visualmente e conceito totalmente inovador. Mas ainda não vingou no mercado.

Já o BlackBerry 10 é totalmente novo em relação aos seus antecessores, nos quais trabalhei durante três como desenvolvedor. Tive a oportunidade de participar de um evento de pré-lançamento da plataforma realizada em São Paulo no ano de 2012. Confesso que achei o sistema operacional bonito e estável. Basta esperar e ver se a empresa canadense vai recuperar seu mercado perdido.

Mas não paramos por aí. O final de 2012 e início de 2013 estão sendo marcados pelo anúncio de novos sistemas operacional para o mundo mobile. Neste texto, vamos falar dos principais: Firefox OS, Ubuntu Phone, Tizen e SailFish OS.

Vamos começar falando do SailFish OS, desenvolvido pela Jolla, empresa formada por ex-funcionários da Nokia insatisfeitos com a morte do MeeGo. Este OS ainda é prematuro, não contendo muita informação na internet. Seu SDK vai ser lançado no início deste ano (2013).

Segundo minha pesquisa o SailFish terá suporte a aplicativos Android. Na página oficial do projeto pode ser visto uma citação ao Qt e a ferramenta QtCreator. Que, concidentemente é uma das apostas no novo BlackBerry 10. Abaixo, segue um vídeo lançado pelo Jolla que mostra um pouquinho do que será este OS.


Já o Tizen é uma iniciativa liderada pela Samsung, Intel e Linux Foundation. É baseado no Linux e terá forte apelo a tecnologia HTML 5 (outra constante nestas novas plataformas). Segundo consta, também terá suporte a aplicativos Android. Porém, tem foco em dispositivos mais simples.

O Tizen parece ser uma plataforma mais madura que o SailFish. Por exemplo, tem um guia para desenvolvedores bem completo (https://developer.tizen.org/documentation/dev-guide). Terá suporte para aplicativos com padrões Web (HTML5, CSS  e JavaScript), aplicativos nativos (C/C++) e híbridos. Infelizmente, parece que o download do SDK do Tizen está com problemas, então, não vou conseguir falar sobre isso.

Abaixo, um vídeo com o Tizen 2.0 Magnolia:


 
O Tizen terá suporte a features avançadas, como o NFC por exemplo. Além do GPS, 4G e versões para tablets, notebooks e televisores.

O Ubuntu Phone, criado pela Canonical também tem um nível de maturidade bom. Basicamente será uma versão semelhante ao Ubuntu para Desktop, porém, para smartphones, tablets e televisores.

Assim como o Tizen, Web Apps são o foco principal. Possui API´s específicas para uma melhor integração com o hardware. Logicamente, a tríade HTML 5, CSS e Java Script está presente. Porém, para rich applications a plataforma fornece um ambiente de desenvolvimento nativo, misturando QML com uma engine C ou C++. Além de suporte a OpenGL.

Infelizmente também não consegui instalar este SDK, pois, encontrei somente a linha de comando apt-get no site oficial. Como não utilizo Linux no notebook ficou impossível testar.

Veja mais sobre o SO no vídeo abaixo:



E, por último, mas não menos importante, temos o Firefox OS. Que tem um slogan grande na sua página oficial dizendo “trazendo a open web para dispositivos mobile”. É desenvolvido pela Mozilla Foundation.

Talvez o que vou falar já não é mais surpresa, mas, foca no uso do HTML5 juntamente com API fornecidas pela Mozilla para criação de aplicativos com uma experiência de usuário melhor. CSS e Java Script fornecem o apoio restante no ambiente de desenvolvimento.

A plataforma também já conta com um site com uma vasta documentação e um esboço de marketplace. Não encontrei nenhuma referência a SDK no site oficial.

Abaixo, um vídeo que mostra um pouco do que é o Firefox OS:


E o que estes novos sistemas operacional para dispositivos mobile nos dizem? Que devemos esquecer Android, a plataforma líder de mercado atualmente? Que java está com os dias contados e devemos correr desesperadamente para HTML5?

Minha opinião é bem simples. Essa resposta quem nos dará é o mercado. Não conseguimos estudar todas as plataformas, sistemas operacionais e outras novidades que surgirem. Indico conhecermos basicamente cada uma delas e aumentar o tempo de estudo conforme aumenta sua adoção no mercado. Um bom exemplo é o Windows Phone. É uma ótima plataforma, o Metro Style acertou em cheio no design mas, ainda não ganhou mercado.

E o HTML5, CSS e Java Script? Se você leitor, for um desenvolvedor de aplicativos nativos para Android ou iOS, eu sugiro que começe a estudar um pouco mais estas tecnologias. Afinal, não temos bola de cristal para saber o comportamento do mercado.

E o Android? Mesmo que ele comece a perder espaço (o que eu duvido), isso ainda vai levar um bom tempo. Talvez o sistema operacional do Google imite a Nokia e o Symbina, reinando por uma década e meia.

Att.
Ricardo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Melhorando Performance de JPA com Spring Web Flow

No TDC2009 realizado pela Globalcode em São Paulo foi apresentado um Lightning Talk sobre um problema específico de performance em aplicações Web com JPA e uma possível solução usando o Spring Web Flow . Num período de 15 minutos, os slides a seguir foram apresentados e seguidos de alguns vídeos de demonstração de uma aplicação Web em execução. Melhorando performance do JPA com Spring Web Flow View more presentations from Dr. Spock . Nesta apresentação foi dito que temos encontrado problemas de performance em aplicações Web que utilizam as tecnologias JSF + JPA + Ajax quando precisamos gerenciar um contexto de persistência (EntityManager). Estes problemas se manifestam quando aplicamos uma resposta errada para a pergunta: Como gerenciar o contexto de persistência numa aplicação Web? Se as aplicações não usam Ajax e limitam-se ao modelo orientado a requisições, a solução mais comum é o uso do design pattern chamado "Open Session In View Filter". Através deste design

O que é Lógica de programação?

Este é o segundo de uma série de posts voltados aos leitores do blog que estão dando início à carreira de desenvolvimento de software. O assunto de hoje é a lógica de programação. Para ler antes: Entendendo como funciona a programação de computadores: linguagens de programação, lógica, banco de dados A lógica de programação é um pré-requisito para quem quer se tornar um desenvolvedor de software, independente da linguagem de programação que se pretende utilizar. Mas o que é de fato a Lógica de Programação e como saber se eu tenho esse pré-requisito? A lógica de programação nada mais é do que a organização coerente das instruções do programa para que seu objetivo seja alcançado. Para criar essa organização, instruções simples do programa, como mudar o valor de uma variável ou desenhar uma imagem na tela do computador, são interconectadas a estruturas lógicas que guiam o fluxo da execução do programa. Isso é muito próximo ao que usamos em nosso cotidiano para realizar atividad

Dica rápida: Apagando registros duplicados no MySQL

Ola pessoal, Sei que vocês estão acostumados a ver posts meus sobre tecnologia móvel ou algo relacionado, mas hoje vou falar sobre um pequeno "truque" que usei esse final de semana com o MySQL. Eu estava desenvolvendo o lado servidor de uma nova aplicação mobile (ahh, então "tem a ver" com mobile hehe), e quando fui fazer alguns testes percebi que tinha quase 7 mil registros duplicados (!!!) na minha base de dados! Bom, o meu primeiro reflexo como programador foi pensar em fazer um "programinha" Java para buscar e deletar todos esses registros duplicados. Mas ai, resolvi tirar as teias de aranha dos neurônios e usar os vários anos de experiência que passei com SQL e criar uma query que fizesse esse trabalho todo de uma vez!! E a query ficou assim: delete from TABLE_NAME USING  TABLE_NAME, TABLE_NAME  AS  auxtable WHERE   ( NOT  TABLE_NAME.id  =  auxtable.id ) AND   ( TABLE_NAME.name  =  auxtable.name ) Explicação direta: TABLE_NAME

Muitas vagas, otimismo e sensação de reaquecimento da economia

2010 começou cedo, contrariando a expectativa que muitos Brasileiros tem de "O ano começa mesmo depois do carnaval".  Embora o inicio do ano tenha sido "repleto" de catástrofes naturais e muita chuva aqui no Brasil, no campo profissional o otimismo está evidente, as pessoas estão cheias de energia e boas perspectivas em relação as oportunidades de JavaEE 6 e muitas outras tecnologias. Mas, parece que não são somente as pessoas que estão otimistas, os anúncios de vagas voltaram a crescer, empresas anunciando boas vagas, ou grandes quantidades de vagas, refletindo o que podemos chamar de "Otimismo corporativo" . Veja algumas empresas que anunciaram vagas: IBM SpringSource   Yahoo!  Elumini   Cyberlynxx   Google Kaizen SPC Brasil Se em 2009, um ano de crise fizemos tudo isto , imagine em 2010. E você está preparado ?  Está otimista ? []s Yara http://twitter.com/yarasenger http://twitter.com/globalcode

Devo fazer um curso ou ler um livro?

Acredito que todos os instrutores ou professores, independentemente da área, escola ou centro de treinamento, já devam ter recebido essa pergunta alguma vez na vida: devo fazer um curso ou ler um livro? Para responder a essa pergunta, precisamos avaliar os prós e contras de cada opção. Trabalho com treinamento há algum tempo e, hoje, recebi essa pergunta de um aluno. Não adianta responder a ou b sem argumentar, demonstrando as opções conforme a situação do aluno. O conteúdo, a forma de transmissão e a capacidade de assimilação do indivíduo são chaves para haver benefício maior de aprendizado. Tanto em um bom curso quanto em um bom livro, o conteúdo é a premissa básica . Por conteúdo entendemos: se está organizado; se respeita pré-requisitos; se promove o aprendizado guiado e incremental; se aborda de forma satisfatória os principais pontos; se tem bom balanço entre teoria, exemplos e prática (favorecendo exemplos e prática); se tem como premissa a acessibilidade possível (e cabível) pa

JavaLi no Lançamento mundial do JDK7 em São Paulo

O Lançamento mundial do JDK7 foi realizado no dia 7/7 em três cidades simultaneamente: São Paulo (SouJava), Londres (London User Group) e São Francisco (Oracle) com transmissão ao vivo via satélite! Evidentemente as cidades não foram escolhidas por acaso, e podemos enxergar a escolha da cidade de São Paulo como um sinal de reconhecimento à comunidade Java Brasileira, ao SouJava e à Globalcode. Com certeza houveram várias pessoas fundamentais para isto, como o Bruno Souza e o Mauricio Leal responsáveis pela organização e realização do Mês de Java! Veja a entrevista com o JavaLi no TDC2011: Veja também as fotos do Lançamento do JDK7 na cobertura realizada aqui no Globalcoders. É isso aí pessoal, próxima parada ? Trilha Java TDC2011 Goiânia! E você, já se inscreveu? Participe, colabore, divulgue esta iniciativa. []s Yara Senger http://twitter.com/yarasenger