Pular para o conteúdo principal

Introdução a jQuery - parte 2

Esta é a segunda parte da Introdução a jQuery. No post anterior eu mostrei um exemplo e agora vou dar um pouco mais de detalhes.
Para começar, vou explicar os conceitos da filosofia do jQuery e depois falarei sobre seletores.

Conceitos da filosofia do jQuery

1. Encontrar alguns elementos, através de seletores CSS, e fazer alguma coisa com eles usando métodos jQuery
Ou seja, localizar os elementos na árvore DOM para depois manipulá-los de alguma forma.
Para isso usamos $(seletor) ou jquery(seletor), que retorna um objeto Javascript especial contendo um array de elementos DOM que satisfazem o seletor.
Por exemplo, para selecionar todos os links que estão dentro de um parágrafo, é só fazer:
$("p a");

2. Encadear múltiplos métodos jQuery num conjunto de elementos
Todos os elementos selecionados antes de um método jQuery ser aplicado sempre são retornados de modo que a cadeia continue, permitindo menor uso de memória e uma melhoria na performance.
Com isso podemos fazer algo do tipo:
$('div').hide().text('novo texto').addClass("atualizado").show();
Neste caso, primeiro são selecionados todos os divs da página, daí todos eles são escondidos, depois muda-se o texto de todos eles, em seguida uma classe CSS é acrescentada e por último os divs são mostrados novamente.

3. Usar wrappers jQuery e iterações implícitas
Aproveitando o item anterior, este tipo de construção se chama wrapper porque engloba os elementos selecionados com funcionalidade estendida. Quero dizer que qualquer operação feita no objeto retornado será feita em cada um dos elementos, ou seja, há uma iteração implícita aí.
Quando escrevemos:
$('div').hide();
O método hide() será aplicado em cada um dos elementos div retornados em $('div');

Viu que maravilha? Com uma linha de código o jQuery substitui várias linhas que usamos para escrever JavaScript puro!

Como incluir um código jQuery numa página (X)HTML

Você pode baixar o jQuery do site jquery.com e colocar no seu servidor ou então usar uma versão hospedada no CDN (content distribution network) do Google, que é o que eu fiz no meu exemplo da parte 1, veja a linha 42 da listagem onde eu coloquei o seguinte:
<script type="text/JavaScript" src="http://ajax.googleapis.com/ajax/libs/jquery/1.4/jquery.min.js"></script>

Depois é só colocar o seu código dentro das tags script:
<script>
// seu código jQuery vai aqui
</script>


Normalmente estes trechos de código são colocados na seção de cabeçalho do arquivo HTML, ou seja, entre as tags <head> e </head>, porém, na maioria dos casos aconselha-se a colocar no final do corpo antes da tag </body> para melhorar o carregamento da página.

Seletores

Com o uso de CSS no desenvolvimento de páginas web, podemos separar o que é informação de estilo do que é estrutura do documento. E esta separação facilita não só o manuseio e entendimento mas também quando precisamos mudar muito a cara de uma página e para isso trocamos as folhas de estilo simplesmente.
Como princípio, o jQuery é focado em recuperar elementos das páginas HTML e executar operações neles. E para isso, faz uso de seletores CSS, que descrevem grupos de elementos através de seus atributos ou localização no documento.
jQuery usa a sintaxe do CSS e a extende com alguns métodos customizados para selecionar elementos que nos ajudem a executar tarefas simples e também as complexas.

Alguns exemplos de seletores básicos:
  • div - todos os blocos de elementos div
  • #quadro1 - elementos que contenham o atributo id com o nome "quadro1"
  • .quadro - elementos que tenham o atributo class "quadro"
  • div.quadro - elementos que tenham o atributo class "quadro"
  • div#quadro1 img - elemento img declarado dentro de um elemento div que tenha o atributo id "quadro1"

Para usar num código jQuery, é só colocar dentro de $( );, como nestes exemplos abaixo:
  • $("div.quadro");
  • $("div#quadro1 img");

Outros seletores avançados:
  • $("div#quadro1 > div"); - seleciona elementos div que sejam filhos diretos do div com id igual a quadro1
  • $("input[type=text]"); - seleciona elementos input cujo atributo type seja igual a text
  • $("a[href$=.pdf]"); - seleciona elementos com atributo href que terminam com .pdf
  • $("li:has(a)"); - seleciona elementos li somente se este contiver um elemento a
  • $("p:odd"); - seleciona elementos p ímpares
  • $("p:even"); - seleciona elementos p pares

Isso só para dar uma pequena amostra. Para saber mais consulte algum tutorial ou livro sobre CSS para mais informação.
Eu gosto muito do livro CSS the missing manual, de David MacFarland, O'Reilly.

Métodos

O jQuery tem vários métodos prontos na sua API. Sua documentação é muito boa, por isso vou listar somente alguns deles aqui como ilustração:
  • .hide() - os elementos do conjunto selecionado serão escondidos imediatamente, sem animação: $(".quadro").hide();
  • .show() - os elementos do conjunto selecionado serão mostrados imediatamente, sem animação: $(".quadro").show();
  • .size() - retorna o número de elementos do conjunto selecionado: $("div").size();
  • .get(index) - retorna o elemento conforme o index informado ou todos caso não tenha sido passado nenhum parâmetro: $("img").get(0); - seleciona a primeira imagem
  • .addClass(name) - adiciona a classe informada em todos os elementos do conjunto selecionado
  • .css(name,value) - atribui o valor "value" a uma propriedade de estilo de nome "name": $("div").css("width",300");
  • .css(name) - retorna o valor da propriedade de estilo que tem o nome igual a "name"

Sobre jQuery, ainda tem muita coisa além disso e que daria muitas páginas mais, tais como:
  • funções utilitárias
  • eventos
  • extendendo jQuery
  • plugins para jQuery
  • usando Ajax

Bom, espero que esta introdução que escrevi aqui nestas 2 partes tenha sido de algum valor para quem está iniciando e que também tenha sido uma motivação para procurar saber mais sobre jQuery.

[]s

Ana
Twitter: @anabrant
http://blog.globalcode.com.br/search/label/ANA ABRANTES

Comentários

duboris disse…
Ana,

Parabéns pelo Post.
Já utilizei JQuery, mas nunca tinha parado para entendê-lo e agora consegui entender bem o conceito.

Sds.

Postagens mais visitadas deste blog

2º Bate Papo do SP-GTUG - Divulgação

Pessoal, Para aqueles que já estiveram presentes nas atividades do SP-GTUG (encontros ou bate papos na Globalcode), e para os que ainda não puderam estar presentes, teremos um novo bate papo acerca de mais duas tecnologias do Google: AdSense e Python no GAE. Este será o nosso segundo bate papo do SP-GTUG, nos mesmos moldes dos minicursos da Globalcode . Local e data O bate papo acontecerá no dia 27/03/10, das 10:00 às 13:00 na Globalcode. Para fazer sua inscrição e participar acesse a home da Globalcode e vá até a parte de "Minicursos Gratuitos da Semana ". Conteúdo das apresentações Abaixo seguem as descrições passadas pelos palestrantes: Título: "Algoritmos em Python" Resumo: Python é uma linguagem considerada frugal, simples, sem ser simplória! Entenda como construir algoritmos ninjas com essa linguagem, adotada pela Google e pelo MIT. Veremos muito, muito código, desde algoritmos clássicos até tutoriais do

10 reasons why we love JSF

1. One-slide technology: it's so simple that I can explain basic JSF with one slide. 2. Easy to extend: components, listeners, render kit, Events, Controller, etc. 3. Real-world adoption: JBoss, Exadel, Oracle, IBM, ... 4. Architecture model: you can choose between more than 100 different architecture. 5. Open-mind community: using JSF you are going to meet very interesting people. 6. We are using JSF the last 5 years and we found very good market for JSF in Brazil 7. Progress: look to JSf 1.1 to JSF 1.2, JSF 1.2 to JSF 2.0. People are working really hard! 8. Many professionals now available 9. It's a standard. It's JCP. Before complain, report and help! 10. Ed Burns, spec leader, is an old Globalcode community friend! EXTRA: My wife is specialist in JSF. She's my F1 for JSF :) Nice job JSF community! -Vinicius Senger

JSF 2 - Composite Components, você não precisa mais ser um ninja

Estamos em uma nova era da computação, os dados não estão mais localizados em um banco dentro de sua empresa, vivemos a explosão de redes sociais, informações são geradas a todo instante, e se torna essencial que sua aplicação conheça os serviços disponíveis na web e consumam suas APIs geralmente disponíveis por serviços REST. Legal, mas como ficam meus aplicativos Java EE neste novo cenário? Para quem vem acompanhando a evolução da plataforma, é notório que todo esforço vem sendo utilizado para aumentar a produtividade e a integração com novos serviços. Basicamente duas especificações surgem com muita força para atender este cenário, a JSR - 314 (JSF-2) e JSR - 311 (JAX-RS), neste post exploraremos a JSR-314 (JSF2) e sua nova forma de criar Composite Components. Uma das grandes queixas dos desenvolvedores JSF era a complexidade em criar composite components, era necessário um vasto conhecimento sobre o ciclo de vida de uma aplicação JSF. Agora, você não precisa ser mais um “ninja” em

Gosta de informática e sonha ser programador Java um dia ?

A Globalcode está procurando jovens que queiram ser programadores no futuro, para fazer parte de sua equipe de vendas e operacional na unidade Paraíso em São Paulo somente. O grande diferencial é o planejamento para carreira de programador. O planejamento de cursos do portifólio da Globalcode: Academia do Programador, Academia Java, Academia Web, Robótica, Eletrônica, etc, será realizado periodicamente de acordo com o desempenho e interesse individual. Atenção : Este não é um estágio para trabalhar com Java, são duas vagas CLT administrativas para pessoas que queiram ser programadores no futuro. Perfil : Conhecimentos de informática básica, saber lidar com pessoas e trabalhar em equipe. Deve ter concluído o ensino médio, ter boa escrita, ser organizado, responsável, comprometido e dinâmico. Interesse por computação, programação, internet, robótica, eletrônica,... Temos duas vagas para jovem-aprendiz abertas: 1) Setor operacional No dia a dia Serviços externos Controle de estoqu

JavaMail: Enviando mensagem HTML com anexos

Introdução Depois do post "JavaMail: Enviando e-mail com Java" , que apresentava como enviar um e-mail com Java, resolvi complementar a assunto apresentando como enviar uma mensagem formatada, em HTML , e também como realizar o envio de anexos. Bibliotecas Além da biblioteca JavaMail, veja mais no post anterior , é necessário incluir o JavaBeans Activation Framework (JAF), apenas se a versão utilizada for anterior ao JSE 6.0 , que já tem o JAF incluso. O JAF está disponível em http://www.oracle.com/technetwork/java/javase/downloads/index-135046.html , e neste download encontramos, alguns exemplos na pasta demo , documentação, incluindo javadocs, na pasta docs e a biblioteca activation.jar , que deve ser acrescentada no classpath da aplicação para versões anteriores ao JSE 6.0. Exemplo Primeiramente devemos realizar a configuração da javax.mail.Session e da javax.mail.internet.MimeMessage , estes passos podem ser vistos no post anterior . Agora vamos montar um

TDC INNOVATION lança University Pass

Modalidade de ingresso tem como objetivo ajudar na capacitação dos universitários Uma pesquisa realizada em 2020 pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) diz que até o ano de 2024 o Brasil precisará de cerca de 420 mil profissionais na área de Tecnologia da Informação. Porém, por ano, a mesma pesquisa diz que o país forma apenas 46 mil profissionais capacitados no nicho. Pensando nisso, para ajudar na formação e capacitação desses jovens profissionais, o TDC INNOVATION, segunda edição do ano do The Developer's Conference, lança o University Pass, modalidade de ingresso que possibilita aceso digital gratuito a todas as palestras do evento, ou com 50% de desconto para quem preferir ir pessoalmente. Com o tema central “Desafios para a criação do futuro Digital”, o TDC INNOVATION ocorrerá entre 1 e 3 de junho, de forma híbrida: presencialmente no Centro de Convenções CentroSul, em Florianópolis, e com transmissão simultaneamente pela